Preciso vender mais o meu produto.

Uma matéria publicada no jornal Valor em 23/06/2015 com o título, “Vendas on-line de produtos de barbear ameaçam domínio da Gillette no varejo.” Este mercado on-line mal existia ha alguns anos e começou com a Startup Dollar Shave Club, que prometia aos assinantes uma economia em relação às marcas líderes, entregando em alguns meses do ano em suas casas, as laminas de barbear. Nos primeiros cincos meses de 2015 as vendas somaram US$ 141 milhões. É bom lembrar que não foi um líder na fabricação de laminas que iniciou o projeto.

Se você é fabricante de bens de consumo sabe que a introdução de novos produtos nas grandes redes varejista não é fácil para as pequenas e média empresas pois, além da pressão por preços baixos que impacta diretamente na redução das margens, existe o custo e as regras impostas pela área de trade marketing que na introdução do produto, exige altos investimentos. Com isto o consumidor off-line fica limitado a comprar os produtos que estão nas prateleiras das grandes redes varejistas, que em geral são de grandes empresas, as quais possuem verbas de marketing para divulgação em massa do produto. Este é um ciclo que se repete por anos, mas, que esta em fase de mudança graças ao mundo digital.

O momento é ideal para estes pequenos e médios fabricante , os consumidores cada vez mais conectados estão sensíveis às mensagens e recomendações de outras pessoas que eles conhecem e confiam, é o efeito do networking e do marketing viral. Somados estes efeitos mais a diversidade de escolha, a relação de poder de compra está se invertendo, passando para as mãos do consumidor.

A venda para o consumidor final oferece maior margem o que permite a estes fabricantes terem mais verbas para investir em marketing e o consumidor tem a oportunidade de conhecer novos produtos, experimentar e fazer suas escolhas. Tudo isto é o que acontece no mundo digital.

O e-commerce é sem dúvida uma oportunidade para vender os produtos destes pequenos e médios fabricantes, mas é importante não confundir baixos investimentos para montar seu e-commerce sem prever um investimento inicial, investimento em marketing e capital de giro. É necessário fazer um planejamento no mínimo para três anos. O que diferencia a loja do e-commerce da física são as fronteiras geográficas que permitem vender para muitos clientes, além de também poder divulgar seu produto para um numero maior de consumidores, investindo menos, para o restante as regras de negócios são as mesmas.

Porém, para ter mais chances de sucesso, o mais importante e não subestimar a complexidade deste canal de vendas com monte você mesmo sua loja. Segundo um estudo da ABCOMM (Associação Brasileira de Comercio Eletrônico) o Brasil em 2013 tinha aproximadamente 37 mil lojas e acredite apenas 30% das lojas vendiam mais que 10 pedidos por mês. Um número assustador, mas para os profissionais que estão preparados sempre será a oportunidade de fazer parte do seleto grupo de empresas que fazem sucesso neste canal. Precisa iniciar neste mercado? Contrate um profissional de e-commerce para iniciar projeto em sua empresa ou os serviços de uma consultoria para auxiliar no planejamento e execução. Não dá mais para ignorar este canal de vendas, o e-commerce é uma realidade.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Categoria
Procurar por tags